Falar e entender inglês naturalmente é uma delícia e abre mil portas para novas situações, oportunidades e pessoas na nossa vida.

A principal razão das pessoas procurarem aulas de inglês é o desejo e necessidade de conseguir FALAR, de conseguir se comunicar.

E é o que elas menos fazem nos cursos que frequentam.

Todos nós estudamos muito, pensamos em morar fora, tentamos assistir filmes sem legendas, tentamos ouvir músicas e podcasts. Mas, mesmo com todo esse esforço, parece que a fluência nunca chega. Afinal, não se adquire um idioma fluentemente, da noite para o dia. Estudamos e fazemos exercícios gramaticais, o que não nos leva exatamente à fluência. Sonhamos em morar fora, mas isso também não é garantia de adquirir fluência. Além de tudo, poucas pessoas têm essa possibilidade também. Enfim, a realidade é que a maior parte dos alunos passa anos sem conseguir se expressar bem em inglês, mesmo estudando muito, apesar de estudar por anos a fio.

Como podemos inverter essa realidade da maioria das pessoas? Como podemos fazer algo diferente para conseguirmos resultados diferentes?

Não é de um dia para o outro.

Mas se colocarmos em prática algumas dicas, aí sim conseguiremos fazer essa comparação de um mês para outro, e sentir que realmente evoluímos.

O mais importante é OUVIR – LISTENING

Muito mais importante do que estudar regras gramaticais é OUVIR.

Quando OUVIMOS uma expressão, uma palavra diferente, assimilamos e quando menos se espera, acabamos por usar tudo isso que nunca havia sido usado antes. Por isso que é importante também decidirmos O QUE é adequado para se ouvir, e assim nos desenvolvermos através da AQUISIÇÃO.

Aquisição é um processo natural, inconsciente e não tem como evitar: você ouve algo que compreende. Simples assim. É como quando ouvimos uma música pela primeira vez, e voltamos a ouvi-la, a prestar atenção no refrão, até começarmos a cantar a música inteira, memorizando as palavras e curtindo a música e o momento. O mesmo acontece com a aquisição do vocabulário em outro idioma.

É diferente de aprender um outro idioma. Aprender é um processo consciente onde estudamos regras e estruturas. É o que acontece quando frequentamos as escolas de idiomas. Estudamos, decoramos e fazemos provas. Na hora de nos comunicarmos, de conversarmos numa situação real, aí nada daquilo que “estudamos” realmente acontece.

O que fazer então para facilitar nosso aprendizado através da AQUISIÇÃO?

Ler ajuda. Mas ouvir, ouvir mais um pouco, e ouvir mais ainda – esse é o grande segredo.

Mas a compreensão acontece gradativamente. A seleção do material a ser ouvido deve ser escolhida com cuidado e critério. Não adianta ficar ouvindo material difícil no começo. Talvez ocorra alguma aquisição quando ouvimos algo que não compreendemos. Mas já foi demonstrado em diversos estudos que a aquisição de um idioma ocorre muito mais rapidamente quando a pessoa compreende a mensagem. Se não, são apenas sons sem significado, que vão ficando entediantes se não os compreendemos.

Vamos lembrar do processo de aquisição da língua por uma criança. Ela primeiro entende MUITO, para só depois começar a se expressar. O mesmo acontece com os adultos que querem aprender um segundo idioma. De início, a compreensão auditiva é bem superior à fala. A compreensão sempre antecede a fala. E com o tempo, com uma certa quantidade de exposição à língua, conseguimos reproduzir – FALAR – de maneira natural.
Use parte de seu tempo “livre” (no ônibus, cozinhando, na academia, etc.) para fazer Listenings. Ouça de tudo, mas principalmente sobre assuntos de seu interesse particular, seja ligado a trabalho ou a um eventual hobby que você tenha. Assim esse Listening fica bem mais agradável. Procure na Internet, cheque podcasts, TED, programas de notícia e até mesmo de fofocas!

E continue ouvindo. Com essas práticas de aprimoramento do Listening, o SPEAKING e a fluência virão na sequencia.

E bons estudos para vocês. Ou melhor, bons LISTENINGS e agradáveis conversas!